Skip to content

Morde e assopra

abril 26, 2011

Clodomir estava chateado com a esposa e resolveu sair para dar uma volta. A mulata andava enchendo-lhe a paciência com reclamações e bate-bocas, tudo por conta de uma babaquice que rolou no sábado. Sem mais paciência para agüentar aquele disse-me-disse, ele preferia ficar calado a discutir. Daí pegou uma kombi e foi para Saracuruna, visitar sua mãe.

Parou num buteco para comprar um Hollywood vermelho, e acabou tomando duas doses de cachaça. Depois de abrir o maço, pegou um cigarro, virou-o de ponta cabeça, fez um pedido com os olhos fechados e só depois acendeu um outro. Ele não podia fumar em casa, por causa da bronquite da filha caçula, Leydivânia.

Quando chegou no portão da casa, bateu palmas e aguardou. A mãe agora tinha uma criação de poodles, que não eram nada amigáveis. Olhou para uma placa pendurada no muro, onde se lia: “Se vende lindos filhotes de puldos”. Deu um sorriso discreto, imaginando a ignorância da própria mãe ao escrever aquilo.

A velha mancava de um perna, e demorou um pouco para prender a matilha. Não tinha mais ninguém em casa para ajudar, e Clodomir não era muito amigo dos bichos. “- Por mim, matava todos e faria uns espetinhos pra vender. É mais doce que carne de gato”, dizia ele toda vez que chegava lá.

A mãe abriu o portão, inexpresiva, e sem dizer uma palavra sequer. Ele entrou, percebendo a estranheza da situação. Quando tentou abraçá-la, levou um tapa estalado na cara. A velha não estava com cara de muitos amigos. E parecia ter motivos para ter feito aquilo com clodomir.
– Caralho, mãe. Que porra é essa? Tá me estranhando, ou o quê?
– A Greisse já me ligou contando tudo, filhodaputa.
– Aquela preta maldita… devia ter ficado de boca fechada…
– Como você teve coragem de fazer aquilo, Clodomir?
– Pô, mãe… Não quero fala disso com a senhora, tá ligada?
– Mas o quê você fez foi maldade. Sabe disso, né, pilantra?
– Achei que ela ia gostar, caralho. Não tenho culpa
– Você tem noção do que fez?
– Ah… Não fode! 
– Não fode, mesmo! Quem mandou abrir a boceta da mulher e assoprar dentro? Agora ela tá peidando pela racha, Clodomir.

E nem mesmo na casa de sua mãe ele te vê descanso. Ouviu mais de duas horas de sermões antes de ser convencido a voltar para casa e se humilhar, pedindo desculpas à esposa, que àquela altura já estava um pouco mais desinchada.

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. abril 26, 2011 6:24 pm

    Mulherada é corporativista! nada de assopros.

  2. Angelo Mota permalink
    abril 27, 2011 1:20 pm

    hauhauhauha, peidando pela racha foi ótimo. Clodomir levadinho…hauhauhauhaua

  3. abril 29, 2011 11:49 pm

    Leydivânia.
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!!!!!!!!
    Ai, Rafael, eu tenho medo desses nomes que vc inventa.

    Nossa, eu ri demais da buceta peidorreira, que coisa mais medonha.
    =P

    Muito bom, pra variar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: