Skip to content

Nádegas ao vento

setembro 4, 2013

Dez horas da manhã, e Moniselle já não tinha mais nada para fazer no trabalho. Carimbou processos, arquivou pastas, jogou paciência, limpou o teclado, lixou as unhas, arrancou os pelinhos da xurreia e até passou trote para seu ex-marido. Estava tão sozinha naquele setor, que resolveu xerocar suas nádegas. O enquadramento ficou tão lindo e poético que ela gastou uma resma de papel fazendo cópias. Ao meio-dia ela abriu a janela e atirou tudo ao vento, só pelo desfrute de ter sua bunda achatada fazendo a alegria da galera na hora do almoço.

Anúncios
One Comment leave one →
  1. Daniel permalink
    março 24, 2015 8:14 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: