Skip to content

Romantismo

agosto 19, 2010

Leonídia sentou-se na calçada, acendeu um cigarro e pôs-se a esperar pelo marido. Não demorou muito para que ele chegasse, com um buquê de rosas vermelhas nas mãos. Ela, então,  arreganhou um sorriso do tamanho do mundo, por Rodrigo ter lembrado de seu quinto aniversário de casamento. Trocaram beijos, abraços e juras de amor, até enojarem os vizinhos com tanta melação. Jantaram à luz de velas, conversaram apaixonadamente e depois foram dormir. No dia seguinte, ela acordou mais cedo. Preparou um café da manhã todo especial, arrumou a roupa de Rodrigo e voltou para a cama. Beijaram-se, acariciaram-se e ela confessou que estava na hora de terem um filho. Rodrigo saiu para trabalhar e não voltou mais. Leonídia pensa, até hoje, que ele a abandonou por causa do bafo matinal.

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. agosto 19, 2010 7:41 pm

    Hehehe, ai, as Leonídias nunca querem encarar a realidade…

  2. agosto 24, 2010 10:52 pm

    Leonídia devia saber que Rodrigo não podia ter filhos e mesmo com todo o esforço dele em demonstrar carinho e paixão não foi suficiente para que ela sussegasse com a ideia maluca de ter filhos… Pobre Rodrigo… nunca mais foi feliz!

  3. agosto 25, 2010 2:31 pm

    Quebrou todo o romantismo. Nem um homem funciona sob pressão.

  4. agosto 26, 2010 12:41 am

    Coitaaada.
    Você já pensou em escrever um livro?¿ =P
    Ou já o fez…talvez…hehe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: