Skip to content

rubro

novembro 6, 2008

Cléia estava furiosa. Trancou-se dentro de casa e ficou rodando, de um lado pro outro. Acendeu um cigarro, deu duas tragadas e arremessou a bituca pela janela. O ódio escorria pela sua face como um rio. Prendeu o cabelo num elástico, arregaçou as mangas da blusa poída até o ombro e abriu uma lata de tinta vermelha. Diluiu em vários baldes e pegou um rolo de lã. Pintou todas as paredes da quitinete, os móveis e os livros. Pintou as roupas. Os cds. O gato e o cachorro. Pintou o próprio corpo e só parou quando não havia mais tinta na lata. Caiu exausta, no sofá, acendeu outro cigarro e adormeceu. Só acordou no dia seguinte, quando veio a menstruação. Pelo menos, dessa vez, não manchou o lençol.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: